Medidas de ajuda imediata para o sistema rodoviário de Luanda

Projecto: Planeamento de medidas de ajuda imediata para melhoria da infra-estrutura rodoviária e fluxo de trânsito na capital angolana, Luanda

Informações básicas

O crescimento demográfico de Luanda nas últimas décadas atingiu níveis nunca vistos. Enquanto em 1975 viviam na capital angolana aprox. 500.000 habitantes, dez anos mais tarde eram já nitidamente mais de um milhão. Em 1995 o número de pessoas que aí viviam ultrapassou os dois milhões, entretanto são mais de 5 milhões. O grau de motorização aumentou, no mesmo período, de forma ainda mais acentuada. Se em 1975 havia na cidade 10.000 veículos, o seu número trinta anos depois era de cerca de 450.000. Devido à longa guerra civil, a ampliação das infra-estruturas não acompanhou de forma alguma este crescimento. As consequências são situações de trânsito caóticas no dia-a-dia, ainda mais acentuadas devido à falta de transportes públicos suburbanos eficientes.

Projecto

A GAUFF Engineering realizou, em primeiro lugar, uma análise da situação de tráfego existente e elaborou, com auxílio destes dados REAIS, prognósticos a longo prazo da evolução das infra-estruturas da capital angolana. Uma vez que a eficiência de uma rede viária urbana está sempre estreitamente associada à eficiência dos seus entroncamentos, foram propostas alterações da gestão de tráfego nos entroncamentos a aplicar a curto prazo, como medidas imediatas. Numa fase posterior, a expansão complexa do sistema de transportes públicos deve levar a uma redução do tráfego motorizado individual. Tal inclui p.ex. a realização das linhas férreas planeadas, a criação de um sistema de autocarros expressos e a construção de terminais de autocarros, sobretudo como medidas de "park and ride" (estacionamento com ligação directa à rede de transportes públicos).

Serviços

  • Fase 1: definição de todas as medidas estratégicas
  • Fase 2: levantamento e avaliação da situação de trânsito actual
  • Fase 3: previsões para o desenvolvimento posterior, planeamento de medidas de ajuda imediata
  • Fase 4: apresentação e acerto do catálogo de medidas
  • Fase 5: criação de um programa de medidas