Central hidroelétrica "Sambangalou" com redes de transporte de eletricidade de alta tensão

Contrato: representação da "Organisation pour la Mise en Valeur du Fleuve Gambie" (OMVG) como dono da obra para a construção da central hidroelétrica "Sambangalou", bem como das linhas de alta tensão e da respetiva infraestrutura.

Informações básicas

A "Organisation pour la Mise en Valeur du Fleuve Gambie" (OMVG) é uma organização internacional constituída por Estados da África Ocidental como o Senegal, a Gâmbia, a Guiné e a Guiné-Bissau e que desde os anos oitenta tem como objetivo o aproveitamento conjunto dos recursos naturais do rio Gâmbia. Engloba também, entre outros, projetos de produção de energia através de centrais hidroelétricas de forma a preservar os recursos naturais, os quais estão definidos, a longo prazo, no âmbito de um programa de desenvolvimento energético.

Projecto

A GAUFF Engineering foi contratada pela OMVG para ser a sua representante, na qualidade de dona da obra, para efeitos da implementação da construção da central hidroelétrica "Sambangalou", bem como das linhas de alta tensão e da respetiva infraestrutura. Isto também inclui a ligação da central hidroelétrica de Kaleta, na Guiné à rede de distribuição da OMVG.

A central hidroelétrica Sambangalou deverá ser construída 22 km a sul da cidade Kedougou, no Senegal, e deverá ter uma potência instalada de 128 MW. A infraestrutura para a distribuição da eletricidade gerada será constituída por 1677 quilómetros de linhas de alta tensão de 225 kV, 15 subestações e um centro de distribuição para a ligação energética em rede dos quatro países da OMVG. Para além disso, a GAUFF fica responsável pela assistência técnica no começo da exploração da central hidroelétrica de Kaleta já construída na Guiné. Esta localiza-se a cerca de 120 quilómetros a nordeste da capital Conakry e conta com uma potência instalada de 240 MW.

Sambangalou deverá gerar uma quantidade de energia de 402 GWh e Kaleta de 946 GWh. A energia gerada corresponderá a 12,6% da necessidade energética total prevista para o ano de 2018 nos países da OMVG.

O projeto será financiado pelo Banco Africano de desenvolvimento e pelo Banco mundial, bem como por outras seis instituições financeiras internacionais com uma verba de 810 milhões de euros.

Serviços

  • Representação como dona da obra
  • Gestão dos contratos
  • Construção e direção de uma unidade de gestão de projetos para:

    • administração
    • gestão financeira
    • gestão ambiental
    • translocações socialmente responsáveis
    • supervisão da obra

  • Assistência a nível de concursos, avaliação de contratos e negociação de contratos
  • Formação e transmissão de conhecimentos ao pessoal da OMVG e da PMU (Unidade de gestão de projetos)
  • Assistência na escolha de futuros operadores